Escola Bosque: como a gamificação transformou o aprendizado no colégio

Pasi Loman
Pasi Loman
Commercial Director - Seppo Brasil
22.4.2020
Escola Bosque: como a gamificação transformou o aprendizado no colégio

Não é só de lápis, caderno e uma lousa que um aluno pode aprender hoje em dia. Para engajar, motivar e tornar o aprendizado divertido a inteligência artificial e a gamificação tem caminhado lado a lado na trajetória dos estudantes da Escola Bosque, na Zona Sul de São Paulo.


Não é só de lápis, caderno e uma lousa que um aluno pode aprender hoje em dia. Para engajar, motivar e tornar o aprendizado divertido a inteligência artificial e a gamificação tem caminhado lado a lado na trajetória dos estudantes da Escola Bosque, na Zona Sul de São Paulo.

A escola focada em Educação Infantil a Fundamental é uma referência quando se trata do aluno ser protagonista do seu próprio aprendizado. Ali, crianças e adolescente têm o primeiro contato com a tecnologia aos quatro anos, já dos 8 aos 15 anos, aulas de robótica são parte do currículo escolar.

“Você trabalha protagonismo e construção colaborativa do conhecimento desde os primeiros anos de idade”, afirma Silvia Scuracchio, Diretora Pedagógica da Escola Bosque. “A tecnologia faz parte do nosso DNA. Nós começamos com robótica pedagógica e educação tecnológica há 18 anos, quando ninguém falava sobre isso”, completa.

Hoje, a Escola Bosque é considerada pela Microsoft uma Showcase School por incentivar a transformação digital, amplificando o uso da tecnologia para impulsionar transformações no colégio, além de utilizar a plataforma de gamificação Seppo para tornar a experiência do aprendizado dentro da aula mais prática e motivadora para o aluno. Pelo menos é o que a aluna Bruna Macruz, de 14 anos, e estudante do 9º ano conta:

 “Acho que a tecnologia dentro da aula tornou tudo mais divertido: fazer uma apresentação é muito mais legal do que fazer no caderno, uma coisa muito monótona. A gamificação em si eu gosto muito porque da para colocar a minha essência na atividade, o que abre muitas portas para a gente deixar do jeito que eu imagino”, relata.

 Gamificação nas escolas

 O novo modelo de escola está avançando cada vez mais e a gamificação como modo de ensinar está ganhando um grande reforço na tecnologia educacional.

 Além disso, a relação professor-aluno durante a gamificação é também transformada, já que o educador se torna mais do que a fonte de aprendizado e passa a ser também um mentor para que o aluno seja o centro do aprendizado.

“Quando você consegue implementar essa questão tecnológica dentro da sua aula, você consegue aproximar o seu discurso ao do aluno. Isso promove engajamento não só entre eles, mas principalmente entre o professor e o estudante”, afirma Leandro dos Reis, Professor de Inglês do fundamental 1 e 2 da Escola Bosque.

Com a gamificação, aspectos como pontuações, rankings, missões e prêmios são estratégias para manter os alunos interessados e atentos, aprendendo um determinado conteúdo enquanto realizam atividades. É possível treinar em uma mesma tarefa vários tipos de habilidade e de conhecimentos, o que desenvolve a flexibilidade cognitiva. “Não sabia quase nada de números romanos e agora, por conta dos jogos na sala, estou sabendo quase tudo”, diz com empolgação o aluno de apenas 9 anos, do 5º ano, Gustavo Alves.

“Eu já participei de escolas que não dispunham de tanta tecnologia e consigo ter um parâmetro das duas realidades: quando você não tem a tecnologia, você tem de usar muito o recurso da criatividade em si para tentar suprir o que a gamificação, por exemplo, traz para facilitar o seu dia a dia como professor”, completa Leandro.

A gamificação nas escolas traz possibilidades incríveis para os alunos criarem, interagirem e perceberem novos caminhos para o aprendizado de uma forma leve e divertida. Você já convenceu de tudo isso? Clique aqui e faça um teste gratuito da plataforma Seppo e comece hoje mesmo a tornar o EAD da sua escola motivador e divertido!